E.M.D.R.®


Abordagem E.M.D.R® Adultos e Crianças

O E.M.D.R® é uma “ferramenta” neurobiológica, ou seja ela simula o que naturalmente ocorre durante o sono REM e acciona um mecanismo de cura (processamento da experiência dolorosa). É utilizada para uma grande variedade de perturbações associadas a situações de grande impacto emocional. Situações de abuso físico na infância, negligência, maus tratos psicológicos, privação da liberdade, acidentes e doenças debilitantes, Bullying, assédio moral, luto e muitas outras, são armazenadas no cérebro de forma disfuncional, tamanha a carga afetiva relacionada.

Mas como o método E.M.D.R® funciona na prática?

Quando algo de traumático acontece, vamos imaginar um acidente de viação, isso parece ficar bloqueado no sistema nervoso juntamente com a imagem (o carro todo destruído), o som (vidros partidos), a sensação física (frio e tremor), a emoção (medo) e os sentimentos (pânico, perplexidade, etc.) e pensamentos originais (fiz algo errado, deveria ter feito alguma coisa, etc.).

Os eventos perturbadores, ou seja, as más experiências ou experiências traumáticas, são provavelmente armazenadas no cérebro numa rede de memórias isoladas, não permitindo assim a “aprendizagem” da experiência.

Em outra parte do cérebro, numa rede separada, encontra-se a maioria das informações que você precisa para a resolução da situação, porém estas “partes” não se comunicam. Uma vez que comecemos o processamento com o E.M.D.R®, as duas redes podem ligar-se uma à outra e novas informações podem vir à mente.

Os movimentos bilaterais (visual, táctil ou auditivo) que são usados no E.M.D.R® parecem desbloquear o sistema nervoso e permitir que o cérebro processe as experiências dolorosas. Isso acontece naturalmente durante o sono, na fase REM onde os movimentos oculares espontâneos parecem estar envolvidos no processamento do material inconsciente.

Quando o material perturbador é desbloqueado e pode finalmente ser processado, as emoções negativas associadas dissipam-se! A memória passa então a pertencer ao passado, permitindo novas experiências e relacionamentos no presente e uma perspectiva de futuro mais saudável.

 

Marcar Consulta